Clique aqui para anunciar

"Quero levar a esquerda de volta ao poder" diz Ciro Gomes em palestra na Furb

Foto: Richard Ferrari

"Quero levar a esquerda de volta ao poder" diz Ciro Gomes em palestra na Furb

Por Ana Paula Dahlke
Redação Jornal de Blumenau

 

Com dados políticos e econômicos gerais e breves análises desses cenários no país, o candidato a presidente Ciro Gomes (PDT), palestrou e apresentou algumas de suas ideias na noite desta quarta-feira, dia 13, na Universidade Regional de Blumenau (Furb).

 

CRISE ECONÔMICA

Questionado sobre as potencialidades de Santa Catarina para ajudar a diminuir o impacto da crise econômica do país, ele destaca que o estado é modelo para os demais: 

"Mesmo sendo um estado pequeno, diversificou sua matriz produtiva desde economia pós-industrial até o serviço agrícola, pois o pequeno produtor consegue ter a proeza de ter a densidade teconológica, junto a cultura de associativismo que consegue ganhar escala".

Ele ainda enfatiza que o hoje o Brasil está impedido de crescer por conta do endividamento das famílias:

"Pouco mais de 60 milhões de pessoas estão com o nome no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), portanto, pelo consumo da famílias nao é provável que o país vai crescer se não fizermos algo para arrumar isso".

Sobre a déficit do país, Ciro diz que "o sinal que está se mandando para este ano e para o próximo presidente que irá tomar posse é um déficit primário de cerca de R$ 150 bilhões. Há 17 estados em condição de falência, mais de 60% dos municípios brasileiros estão nos limites das contas prudenciais da lei de responsabilidade fiscal. Portanto, precisamos retomar a industrialização do país e eu estou propondo os caminhos por onde isso pode acontecer".

 

CRISE DE IDENTIDADE 

Questionado sobre a descredibilidade das autoridades e instituições políticas, ele diz que "o povo brasileiro tem razão".

Logo em seguida, ele revela que quer levar a esquerda de volta ao poder com "uma compreensão de que esses adjetivos de esquerda e direita estão mal versados no Brasil", e que ser de esquerda "significa você examinar a desigualdade e assumir uma responsabilidade diante dela. Olhar a miséria e não achar que isso é uma consequência fatalista da riqueza".  

Ciro também fez críticas ao candidato concorrente, Jair Bolsonaro (PSL), dizendo que "ele veste uma carapuça e é um espertalhão. É deputado federal há 26 anos no Rio de Janeiro, onde o governador está preso, o presidente da Assembleia está preso, quase a metade do Tribunal de Contas está presa, o epicentro das facções criminosas estão lá, além de estarem sob condição de intervenção federal, e este deputado federal (Jair Bolsonaro), não tem discurso contra nada disso. Acho ele o fim da picada".

Exceto sobre o Bolsonaro, Ciro não mencionou nem na coletiva de imprensa e nem durante a palestra sobre outros candidatos.

 

BR-470

Ciro preferiu não firmar compromisso com a conclusão da duplicação da BR-470:

"Não faço promessas para ser simpático. Ao não prometer, volto aos lugares aonde eu fui pedir apoio e darei as devidas prioridades". 

 

PROJETO PRESIDENCIÁVEIS

A organização do encontro foi feita pelo Diretório de Direito da Furb (Daclobe).

Bruno Andrade, presidente do Daclobe, adiantou ao Jornal de Blumenau que o objetivo é trazer para a cidade os principais pré-candidatos a presidente do país, através do Projeto Presidenciáveis:

"Conversas com  Álvaro Dias (Podemos), Geraldo Alckmin (PSDB), João Amoedo (Novo) e Jair Bolsonaro (PSL) já estão sendo feitas também".

 

 

 

 

a convite do Diretório de Direito da Furb

Patrocinado