Patrocinado
A esquerda precisa aprender com a direita

A esquerda precisa aprender com a direita

Por Carlos Tonet
Editor do Jornal de Blumenau

 

A esquerda está inconsolável.

Não era isso que eles esperavam da democracia.

Acostumados a ver a esquerda se perpetuando no poder, eles pensam que essa perpetuação, como ocorre em países como Cuba, Venezuela e Coréia do Norte, é fruto da vontade soberana do povo.

Não é verdade.

Onde a vontade soberana do povo é respeitada, a esquerda é eleita e deseleita, é aprovada e leva pé na bunda, assim como a direita.

A diferença é que a direita no Brasil está acostumada com a alternância e a esquerda não.

Alinhás, até mesmo durante a ditadura militar havia alternância de poder e os generais sucederam-se um ao outro de boas.

Nenhum general deu o golpe para continuar no poder e quando disseram que iam embora, foram.

A esquerda brasileira deveria tomar aulas com nossos direitões sobre como se acostumar com a alternância e conviver com os contrários.

Teremos nossa experiência com a direitona e veremos o quanto ela é eficiente, o quanto pode ser reacionária, o quanto irá produzir de bem estar social ou de mal estar social.

Como vivemos numa democracia que não está ameaçada nem nunca esteve, a eleição do Bolso traz para a esquerda uma excelente oportunidade de se reciclar.

O que realmente precisamos saber é se Bolsonaro será realmente um direitista liberal ou apenas um populista de direita, intervencionista, nacionalista e estatista, o que o aproximaria bastante da nossa esquerda idem.

Patrocinado
Patrocinado