Patrocinado

Prefeitura de Blumenau amplia medidas restritivas para combater o novo coronavírus

Prefeitura de Blumenau amplia medidas restritivas para combater o novo coronavírus

Devido ao avanço no número de casos confirmados para coronavírus na cidade, e com 76% dos leitos de UTI ocupados, a Prefeitura de Blumenau passa a ampliar as medidas restritivas para o combate ao vírus, assinadas no decreto nº 12.724, neste domingo dia 12 pelo prefeiti Mário Hildebrandt

O agravamento da situação em Blumenau e na região também foi informado pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde, por meio do alerta 005, da última quarta, dia 08. 

O alerta é elaborado com base na matriz de risco do Governo do Estado, que classifica o Médio Vale do Itajaí em situação grave e iminente reclassificação para o último nível, que é o gravíssimo.

Entre as novas medidas, que complementam as normas em vigor, estão:

  1. A proibição à circulação de idosos (mais de 60 anos) e pessoas com cardiopatias graves ou descompensadas, portadores de pneumopatias graves ou descompensadas, imunodeprimidos, doentes renais crônicos em estágio avançado, diabéticos, conforme juízo clínico e gestantes de alto risco.
    A liberação permanece apenas para a realização de atividades consideradas essenciais, como o desempenho de atividades laborativas, os atendimentos de saúde e a aquisição de produtos alimentícios e de saúde.

  2. As restrições também preveem multa para os proprietários ou possuidores de imóveis residenciais onde for constatada a aglomeração na forma de reuniões, festas ou qualquer outra atividade com pessoas não residentes no domicílio.

  3. Formação de cinturões noturnos, entre às 22h e às 3h, nas vias de ligação entre os bairros. 

  4. Os cinturões serão acompanhados pelas ações de blitz com fiscalização intensiva de excesso de velocidade e embriaguez ao volante. 

A partir desta segunda-feira, dia 13 e pelos próximos 14 dias, algumas atividades sofreram alterações quanto ao funcionamento:

  1. A realização de missas e cultos em igrejas ou templos de qualquer culto, bem como de qualquer reunião presencial de cunho religioso ficam suspensas. 

  2. Já as lanchonetes, food parks, cafeterias, padarias, confeitarias, bares, tabacarias, adegas e similares devem encerrar o atendimento ao público até às 20h, e os restaurantes e pizzarias deverão encerrar o atendimento até às 22h. 

  3. As atividades em shopping centers estão vetadas a partir das 15h de sábados e domingos. 

  4. O Transporte Coletivo também fica suspenso por duas semanas, a partir da próxima terça-feira, dia 14. 

  5. Os serviços de transporte municipal, intermunicipal e interestadual de passageiros, público ou privado, bem como de veículos de fretamento para transporte de pessoas, exceto casos expressamente autorizados pela Seterb, também ficam suspensos pelo prazo de 14 dias. 

  6. Com isso, as linhas exclusivas para os profissionais da saúde serão retomadas, garantindo o deslocamento das equipes. 

  7. As aulas presenciais nas unidades das redes pública e privada de ensino, municipal, estadual e federal, relacionadas a educação infantil, ensino fundamental, nível médio, educação de jovens e adultos (EJA), ensino técnico e ensino superior também ficam suspensas até o dia 07 de setembro. 

 

O decreto prevê ainda que as novas medidas não tenham prejuízo do cumprimento do calendário letivo ressalvados os estágios obrigatórios e as atividades práticas presenciais curriculares nos laboratórios de cursos superiores.

Para as empresas, fica determinado que os funcionários de grupos de risco e idosos com mais de 60 anos, serão afastados do trabalho ou realocados para atividades em home office, quando possível. 

O escalonamento deverá ser adotado pelas empresas, realizando a liberação para o almoço dos funcionários em turnos, com intervalos de 30 minutos entre as liberações e limitando a capacidade de lotação dos refeitórios das empresas em 35%, respeitando distanciamento e medidas de higienização. Reuniões presenciais também devem ser evitadas e as organizações com atendimento ao público devem priorizar agendamentos de horários para evitar aglomerações e para distribuir o fluxo de pessoas.

O escalonamento de horários também deverá ser adotado para as atividades da administração pública municipal e os atendimentos presenciais nas unidades da rede pública de ensino do município ficam restritos a, no máximo, três vezes por semana. 



Patrocinado
Patrocinado

Agenda